O Melhor de London Fashion Week Outono-Inverno 2013/2014 | Parte II
O Melhor de London Fashion Week Outono-Inverno 2013/2014 | Parte II

Por todos esses dias Londres goza de uma boa reputação na indústria da moda internacional. Catalogada como a atual capital da moda mundial, este ano Londres quer manter o seu reinado. Sendo perfeitamente possível se levarmos em conta a recente exibição do Fashion Week Outono-Inverno 2013/2014.

Marcas como Tom Ford, Temperley London, Burberry Prorsum, fazem parte de uma seleta lista que adorna o Conselho Britânico de Moda, a principal arma de batalha do mercado britânico.

Confira a segunda parte com o melhor da Semana de Moda de Londres Outono-Inverno 2013/2014:

David Koma

David Koma

O trabalho exibido por David Koma pode ser considerado como um dos melhores entre os melhores. Seguindo um jogo de linhas simétricas e assimétricas que experimentou em sua coleção de primavera, Koma decidiu assumir formas circulares de vinil para criar um repertório com golas arredondadas e saias mais rígidas. Claramente, uma proposta vanguardista, em que o couro, seda, neoprene e organza se sobrepõem de forma magistral.

Marios Schwab

Marios Schwab

“Caligramas” assim se titula a coleção de Marios Schwab. Denominação que faz adequada referência aos tecidos que possuem um conteúdo artístico, Sem cair na opulência, em cada peça formam autênticos poemas dotados de significados próprios. Nesta aposta deve ser destacado as enormes capas de suntuosos veludos decorados com rebites dourados.

Tom Ford

Tom Ford

Tom Ford se encontra na primeira linha do British Fashion Council. Tudo indica que seguirá ocupando esse lugar. A coleção Outono-Inverno 2013/2014 de Tom Ford escapa da rigorosidade e se encontra em uma mistura de influências e inspirações. Tons coloridos, patchworks, estampados florais, astecas e animal print são combinados com jaquetas oversize de couro e peles. Fabuloso!

ISSA

ISSA

A casa ISSA apresentou uma coleção coerente do início ao fim. Sua diretora criativa, Daniella Helayel, nativa do Brasil, usou a Amazônia como fonte de inspiração para criar peças com requintados tecidos, adornados com fabulosos estampados e sóbrias aplicações de pele.

KTZ

KTZ

Cartas de Tarô despertaram o impulso criativo da empresa britânica KTZ. A leitura de um futuro mais atrevido e notoriamente irreverente foi aplicada a uma proposta dominada por grandes volumes e brilhantes texturas. Letras impressas e bordados se sobrepõem em jaquetas de couro. Largos e englobados casacos de cetim roubam a cena em uma série de peças absolutamente atraente.

Topshop Unique

Topshop Unique

Melhorando seus trabalhos antecessores, a linha de elite pertencente a uma das firmas mais exigidas por milhões de pessoas ao redor do mundo, Topshop Unique exibiu uma coleção que retoma o brit-pop dos anos 90, oferecendo algumas peças sutilmente roqueiras e outras que fazem fronteira com a feminilidade extrema. Com tudo, o inverno 2013/2014 de Topshop Unique é uma amálgama de estilos ricos e acessíveis.

Temperley London

Temperley London

Temperley London, de Alice Temperley, conserva a sutileza que a caracteriza por anos. O estilo “Girly” se evidência em uma paleta cromática dotada de suaves azuis, marfins e verdes, potencializada por preto, mostarda e ameixa. Largas saias de chiffon e calças de seda se unem sobriamente com finos tecidos e bordados de organza. Menção honrosa para is requintados estampados multiforme.

Vivienne Westwood

Vivienne Westwood

A dama da moda britânica, Vivianne Westwood, chegou no London Fashion Week com sua linha “Red Label”. A coleção manteve a referência punk de Westwood, mas de maneira comedida, é claro. De acordo com a demanda dos tempos atuais, a proposta de Westwood opta por cortes modernos e “algo” mais tradicional, mas sua irreverência se deixa ver em seus tecidos brilhantes, suas combinações ambiciosas e um “beauty look” manifestamente teatral.

House of Holland

House of Holland

O visual retrô de House of Holland pode parecer redundante se estamos olhando para a atual tendência predominante nas vitrines do mundo. No entanto, a inteligente coleção escolheu uma gama de cores brilhantes, incomuns para uma coleção de inverno e os cortes oversize mais suavizados, podem trazer a tona esta aposta arriscada.

Matthew Williamson

Matthew Williamson

O desfile de Matthew Williamson pode ser resumido por uma palavra: Sublime. Um punhado de coloridas e brilhantes fibras definem principalmente as silhuetas retas. Saias, vestidos, jaquetas e calças de cortes simples se enriquecem graças ao requinte dos bordados artesanais e a incorporação de lantejoulas. Estampados lineares e florais se mesclam de maneira esplêndida com roupas monocromáticas.