Como Usar Moda Sustentável Sem morrer na Tentativa (I)
Como Usar Moda Sustentável Sem morrer na Tentativa (I)

O termo moda sustentável está cada vez mais na boca de todos, mas a realidade é que muitas pessoas na verdade desconhecem do que se trata.

O que implica a moda sustentável é o respeito pelo meio ambiente, direitos humanos, direitos do trabalho e pela saúde das pessoas que trabalham na confecção de peças de vestuário. Tenta parar o uso de práticas comerciais abusivas em países do terceiro mundo, combate a exploração infantil e procura uma distribuição justa das riquezas.

Por moda sustentável nos referimos a peças de vestuário que foram confeccionadas levando em conta:

  • Matérias-primas de baixo impacto ambiental.
  • Conservação dos recursos.
  • Uso de mono e materiais recicláveis.
  • Prevenção da poluição.
  • Durabilidade das mesmas.
  • Mínimo uso de produtos auxiliares.
  • Eficiência na confecção.
  • Mão de obra não escrava.

Como você pode perceber, o consumidor é mais uma peça deste andaime. Comprar de forma responsável é crucial para aumentar esta tendência nos leva para um mundo melhor, uma sociedade mais igualitária e com consciência ecológica.

Bem, agora a questão é saber comprar sustentável. Vejamos algumas diretrizes…

Como Comprar Moda Sustentável:

Antes de tudo é preciso deixar de lado as roupas provenientes de marcas “fast fashion”, estas, embora sejam econômicas, costumam empregar trabalho escravo, materiais contaminantes que destroem o planeta e também podem trazer problemas de saúde para quem as manipula e quem as utiliza.

A principal característica das marcas fast fashion é que constantemente está trazendo novas coleções ao mercado, o que consequentemente fomenta um consumo desproporcional fazendo com que os consumidores acreditem que o que compraram hoje, amanhã é coisa do passado. Requer mais investimento, mas é preciso se voltar para as marcas “slow fashion”. Estas empresas trazem 2 ou 4 coleções por ano: primavera/verão, outono/inverno.

Para confeccionar suas roupas não empregam mão de obra de países em subdesenvolvimento, e também há marcas que elaboram roupas com materiais não contaminantes nem processos de produção prejudiciais. Outra característica é que essas roupas são feitas para durar no tempo, e não se estragam com as poucas posições como acontece com as fast fashion.

Para determinar se uma peça de vestuário é “sustentável” é preciso verificar se sua etiqueta para ver onde foi confeccionada (se o país se caracteriza por trabalho escravo) e qual é sua composição (materiais não contaminantes).

Outro padrão, e não menos importante, é rever completamente o seu guarda-roupa e determinar se na verdade te falta alguma coisa.

A realidade é que as mulheres sempre acreditam que não têm o que colocar e são muito propensas às compras por impulso. Como resultado… Terminam por comprar roupas que não precisam e muitas vezes, que nem sequer usam.

Veja o seu armário como se estivesse em uma loja, experimente o que faz muito tempo que não usa e separe o que já não te serve mais para doar. Depois de ter feito isso, decida se você tem a necessidade de ir às compras ou não, e monte uma lista se realmente te faz falta comprar alguma coisa.

Ter um armário sustentável também envolve aprender a viver com as roupas que já se tem. Em um seguinte artigo seguiremos dando mais orientações sobre como usar a moda sustentável.