O Melhor da Alta Costura Outono-Inverno 2015/2016
O Melhor da Alta Costura Outono-Inverno 2015/2016

A alta costura da era moderna é pensada em uma igualdade de gêneros e de tempos, uma alta costura onde os protagonistas são exclusivamente os magníficos vestidos que parecer brilhar com luz própria, inundado de cristais estritamente costurados a mão, feitos com antigos padrões, onde se respeitam as técnicas da alta moda tradicional, mas com um olhar no futuro.

Atelier Versace:

Versace

Versace

Versace

Versace

Em uma passarela de orquídeas coloridas Donatella Versace apresenta em Paris a noa coleção Atelier Versace Outono – Inverno 2015/2016. A sensualidade característica de Versace essa temporada leva uma personalidade mais delicada e afável, transformando-se em uma proposta menos impetuosa, no entanto os vestidos são um triunfo de aplicações resplandecentes.

Uma coleção maravilhosa de alta costura de Versace, onde os vestidos de chiffon com franjas e longos assimétrico, bustier lotados de Swarovski, maxi vestidos de organza, túnicas esvoaçantes com longos infinitos e bordados metálicos luminosos, os vestidos de noite drapeados no corpo, as veste de deusas do Olimpo da moda ou de Versace. Entre os acessórios destacaram-se coroas preciosas de organza que simulavam ramos de hera.

Christian Dior:

Christian Dior

Christian Dior

Christian Dior

Christian Dior

Raf Simons, diretor artístico da Maison Dior, cria uma coleção de alta costura 2015 inspirada em obras de arte no estilo flamingo, assim como os grandes estilistas franceses. O resultado é a síntese de uma silhueta delicada e majestosa que mira para a Idade Média.

Do gótico ao renascimento, do impressionismo ao flamingo, desde o barroco até os dias atuais. A coleção alta costura de Christian Dior poe em cena casacos com mangas e grandes capuzes de pele, vestidos de chiffon e túnicas que los lembram a época medieval. As técnicas antigas usadas por Raf Simons mostram um estilo moderno de alta costura onde reina a pureza e a inocência, a simplicidade e ao tempo o luxo.

Giambattista Valli:

Giambattista Valli

Giambattista Valli

Giambattista Valli

Giambattista Valli

Giambattista Valli mente criativa e fundador da casa de moda de mesmo nome, é sem dúvida um designer de moda que leva a alta costura no sangue e uma experiência de mais de 49 desfiles Haute Couture, suas criações única são uma homenagem ao luxo e ao artesanato cuidado nos mínimos detalhes. Essa temporada volta a nos surpreender com uma proposta rica, única, impossível de imitar pela grande complexidade.

As saias ou os vestidos de tules esvoaçantes tem uma silhueta redonda, as aplicações de enormes flores e pétalas resplandecentes, são luxuosas decoradas sobre túnicas e vestidos com linhas assimétricas e de longos opostos. Cada vestido tem uma individualidade própria, cada criação de Giambattista Valli, é uma homenagem a uma excentricidade moderna transformada em um sinônimo da nova alta costura da Europa, tão moderna, criativa e tao talentosa.

Giorgio Armani Privé:

Giorgio Armani Privé

Giorgio Armani Privé

Giorgio Armani Privé

Giorgio Armani Privé

Giorgio Armani dessa vez deixa de lado o clássico registro das casas de moda de alta costura que usa tecidos como organza, tule e cetim, para concentrar-se em uma moda alta costura com uma matéria-prima cheia de luz, de plumas e cascatas de cristais, pérolas coloridas, lurex, veludos e plumas.

A paleta de cores são uma inspiração as cores brilhantes das pedras preciosas como o rubi, a esmeralda, safira, ametista e lápis-lazúli. A ausência dos trajes do tapete vermelho foi um detalhe dessa coleção, onde eles foram substituídos por trajes de saias, pantalonas e jaquetas.

Jean Paul Gaultier:

01

02

O desfile de Jean Paul Gaultier é um verdadeiro mergulho as origens, ao estilo característico navy parisiense de Jean Paul Gaultier da década de 90, inspirada nos costumes e tradições da Bretanha francesa.

A passarela esteve inundada de vestidos opulentos de linhas amplas e exageradas, todas com algum detalhe em estilo navy, não faltaram listras horizontais de cor azul marinho, as jaquetas de corte clássico foram reinterpretadas na alta costura, estas se usavam com calças em cores contrastantes e de pernas amplas, os maxi vestidos listras de lantejoulas em estilo navy.

Os pés foram vestidos por botas de pescador enquanto os acessórios eram enormes chapéus cilíndricos decorados com conchas e estrelas do mar.

Zuhair Murad:

Zuhair Murad

Zuhair Murad

Zuhair Murad

Zuhair Murad

A coleção de Zuhair Murad é uma celebração da noite e da luz das estrelas, os cintos e as cores se transformam em verdadeiras jóias, enquanto os vestidos são completamente feito com cristais e aplicações luminosas que se confudem com a luz das estrelas.

Túnicas cônicas transparentes de enormes volumes que flutuam ao vento, a silhueta é feminina e irreal, uma coleção pensada nos eventos grandes como o tapete vermelho. A matéria-prima utilizada é seda e veludo líquido, decorações suntuosas e bordados de cristais minúsculos com um firmamento em uma noite mágica e perfeita.