O Melhor Das Coleções Pre-Fall 2014
O Melhor Das Coleções Pre-Fall 2014

De um tempo pra cá, as coleções Pré-Fall tem se tornado não somente um termômetro das possíveis tendências das principais semanas da moda Outono-inverno, mas também em propostas inspiradoras para o dia-a-dia, graças aos looks mais funcionais e menos sofisticados que as passarelas. Um novo enfoque que nos permite descifrar o protagonismo como o dueto do “black & white”.

1. BCBG MAX AZRIA. Minimalismo como um estado de ânimo folclórico, é a descrição de Lubov Azria sobre sua coleção. Um pouco de alfaiataria masculina e cores fresca de primavera, mas principalmente uma sensação de riqueza que chega através dos bordados e couro, em peças que realçam o gosto da empresa pelos longos midi.

BCBG MAX AZRIA

BCBG MAX AZRIA

2. Bottega Veneta. Crisântemos. Mas especificamente, “A flor como um botão, a flor abrindo-se, a flor caindo aos pedaços”, disse Tomas Maier do processo criativo por trás das propostas de Bottega Veneta. Um tratado que em sua maioria brinca através de tecidos com detalhes de gráficos, estampas florais e em que o designer canaliza o tema com mistura ousadas de materiais como a renda, a pele de cabra laminada e aplicações florais, os acabamentos brilhantes em laranja, rosa e verdes. Uma engenhosa proposta em que os acessórios ocupam também um papel importante destacando especialmente os sapatos coloridos de bico fino rematados com um laço.

BOTTEGA VENETA

BOTTEGA VENETA

3. Burberry Prorsum. Uma mistura de texturas, cor e conforto como núcleo da coleção de Burberry Prorsum, desenhada pelo diretor criativo da empresa, Chistopher Bailey. Uma coleção em que abundam as magníficas peças de roupas exteriores, em forma de casacos com interessantes contrastes de padrões geométricos, em jaquetas com bordados e em jaquetas de pele de ovelha decoradas com mangas volumosas de pele de raposa. Ricas e românticas propostas em que também ocupam um papel importante os vestidos de tule de renda bordada, as saias lápis com forma de diamante e os acabamentos em lurex 3D.

BURBERRY PRORSUM

BURBERRY PRORSUM

4. Calvin Klein. Luxo discreto, quase de usar em casa, caracteriza a coleção apresentada por Francisco Costa, diretor criativo de Calvin Klein. Uma concentrada exibição de roupas frescas e elegantes em tons claros de cinza, estanho e rosa. A silhueta da temporada é folgada e longa com casacos transpassado, cardigans confortáveis e fluidos vestidos inspirados nas camisolas e lingerie. Nos pés, a mulher de Calvin klein usa sapatilhas peludas e sapatos de salto com pulseira no tornozelo que complementam com perfeição os suaves materiais que materializam os desenhos propostos, cashmere, pele de ovelha, alpaca e lã.

CALVIN KLEIN

CALVIN KLEIN

05. Carolina Herrera. Ao contrário das anteriores, Carolina apresenta sua nova coleção Pré Fall através de um coquetel em sua sala de exposição com vinte modelos. A decisão fazia sentido: As propostas tinham um espírito brincalhão e eram capazes por si só alegrarem qualquer festa. Uns desenhos que contaram como fonte de inspiração as abelhas e suas múltiplas facetas, desde bordados ao tamanho natural do inseto em um vestido de noite, a abstratas estampas de favo de mel em uma saia plissada. Uma coleção com um toque de fantasia que brincou com o slogan de sua campanha: “Bee Happy” (Abelha feliz).

CAROLINA HERRERA

CAROLINA HERRERA

06. Chanel. Chanel, incansável, viaja ao velho oeta para oferecer sobre um rodeio como passarela, umas propostas inspiradas nos trajes de índios e cowboys. Um autêntico espetáculo sob o nome Paris-Dallas Métiers d’Art, canalizou elementos românticos do Velho Oeste para uma saída mais elegante que incluía ponchos, cocares, saias, chapéus e peças de jóias com ar tribal. A mulher Chanel também seduz com engenhosas combinações de materiais incondicionais para a maison francesa como pérolas e tweed e elementos de clara influência “Far West” como esculpidas em jaquetas, botas cowboy e bolsas com franjas.

CHANEL

CHANEL

07. Diane von Furstenberg. Uma história de duas cidades, uma coleção em que a designer combinou engenhosamente duas inspirações: as coloridas formas orgânicas do vidro veneziano com o glamour e energia de Nova York. As estampas, fluídas e gráficas, se mostraram tanto em tons severos como o branco e preto, assim como em tonalidades ricas de azul klein, amarelo, turquesa e vermelho, as formas se mantiveram relativamente simples, apostando por maxi vestidos e combinações de túnicas e pantalonas reta e em seu aniversário de 40 anos, novas reinterpretações do seu icônico “wrap dress” ou vestido transpassado.

DIANE VON FURSTENBERG

DIANE VON FURSTENBERG

08. Donna Karan. A camisa e a saia. Desenhos de clara inspiração esportiva foram os fundamentos da elegante Pré Fall imaginado por Donna Karan. Um olhar que se expressa de diferentes formas e que se destacam nas impecáveis camisas brancas, saias plissadas e as confeccionadas com recortes, assim como os casacos de corte clássicos adornados com pinceladas douradas pictóricas. Uma rica coleção que também se estende para a noite com vários vestidos justos e transparentes, decorados com uma quantidade certa de paetês, assim como com vestidos simples, sem alças.

DONNA KARAN

DONNA KARAN

09. Giorgio Armani. Jaquetas bem cortadas e calças confortáveis definem a elegante coleção Pré Fall apresentada por Giorgio Armani. Jaquetas de veludo, blusas de seda com micro estampas geométricas, calças drapeadas, longas saias justas… Fazem dessa uma atraente coleção em que a cor aposta pela sobriedade. Armani também volta a trabalhar o clássico casaco gabam em um estilo recortado, estampa de leopardo e acompanhado de pantalonas de lã.

GIORGIO ARMANI

GIORGIO ARMANI

10. Gucci. Frida Giannini, diretora criativa da empresa, opta por básicos do dia-a-dia para sua nova coleção Pré Fall. Elegantes básicos que apostam por volumes consideráveis e que se decoram com adornos de recentes coleções apresentadas pela designer. Trabalhando com cores tom sobre tom (fúcsia, laranja e amarelo) combinados com preto e azul marinho, Giannini se concentra em peças funcionais com um toque masculino, destacando a grande variedade de peças de roupas adaptadas que se mostram na maioria das vezes, acompanhadas de calças de lã na linha cigarrete. Um toque mais feminino chega com os mini vestidos sem mangas de seda apresentados com remates de pele ou predaria.

GUCCI

GUCCI

11. Michael Kors. O designer americano foca no tomboy chic, em uma coleção que Kors apelidou de “Transeasonal”. Atraentes propostas pensadas para um tour descontraído e elegante, formada por peças básicas como roupas de abrigo, por desenhos masculinos inspirado nas camisas sociais de tamanho grande para o dia-a-dia, e para a noite os desenhos se apresentam mais elaborados em forma de saias plissadas e vestidos com detalhes de grandes laços e ricos bordados.

MICHAEL KORS

MICHAEL KORS

12. Oscar de la Renta. Partindo da idéia de que as coleções abrangem um longo período de tempo vem um desafio: “Abranger uma grande quantidade de estações”, de moda que Oscar de la Renta abordou o tema como uma coleção de variedade. Dividida em oito grupos que cobriam sofisticação, cidade, elegância, tradição, grande dama da alta sociedade, garota glamourosa e assistentes de um grande baile, a linha de 40 looks foi unificada pela firme postura de la Renta: “O mais importante é fazer a mulher se sentir muito bem”. Uma clássica coleção da empresa infundida de modernidade graças as propostas para o dia-a-dia, que contou com sofisticados designs para a noite, em ocasiões exageradas, boêmios e glamourosos.

OSCAR DE LA RENTA

OSCAR DE LA RENTA

13. Vera Wang. Seguindo o exemplo do seu próprio guarda-roupa, a coleção de Vera Wang Pré Fall 2014 combina peças masculinas de caráter esportivo com uma escura feminilidade. Alguns de seus looks eram híbridos dos dois como uma parca primorosamente bordada na gola, enquanto outros se entregam diretamente a um melancólico romantismo, com o vestido preto de corte reto com um decote profundo em V. Assim, enquanto as peças apresentadas eram desde uma delicada túnica de tule com paetês a uma jaqueta de motociclista de couro, todas se unificaram com detalhes luxuosos, ou também por aplicações de vison ou estampas pintadas a mão.

VERA WANG

VERA WANG

14. Versace. Novamente Donatella Versace, diretora criativa da empresa, consegue incorporar toques femininos em icônicos looks do rock & roll da maison. Desenhos que longe de ressuscitar vestidos tubo do passado opta por suaves silhuetas fluidas, grande parte das quais são de doces tons pastel. Justos mini vestidos, jaquetas, camisetas de neoprene… formam uma atraente proposta em que não faltam casacos em pele e cashmere lilases, pastéis rosas e verde menta.

VERSACE

VERSACE

15. Zac Posen. Uma nova e dramática coleção de Zac Posen que apesar de contar com seus sempre espetaculares desenhos, os renova dando-lhes um enfoque de cortes mais refinados. Uma proposta que não se qualifica em simplicidade e muito pelo contrário aposta por estruturas complexas, ricos volumes e engenhosas pregas. Alguns recursos fruto dos magníficos artesãos, já que muitos designers não sacrificariam o tempo, mas que caracterizam o inconfundível estilo da empresa e que faz de seus desenhos merecedores de incontáveis passeios pelo tapete vermelho a cada nova temporada.

ZAC POSEN

ZAC POSEN