O Melhor do Paris Fashion Week Outono-Inverno 2015
O Melhor do Paris Fashion Week Outono-Inverno 2015

Paris Fashion Week Outono 2015, foi como sempre uma semana intensa, cheia de propostas interessantes, algumas novas, algumas pertencentes a uma sucessão de elementos e estilos já visto nas edições anteriores. Hoje escolhemos algumas das casas de moda, para resumir o melhor da moda Paris outono-inverno 2015.

Paris Fashion Week outono-inverno 2015:

Cedric Charlier.


Cedric Charlier

Cedric Charlier

Cedric Charlier

Cedric Charlier

O estilo de Cédric Charlier é como sempre recatado e minimalista, o mood de sua coleção é jovem e feminino. As peças são fáceis de misturar entre si, a paleta de cores é uma liga de tons opacos escuro como o azul, o verde, o roxo e o rosa. A coleção, é uma mistura entre o preppy e o esportivo, criando um guarda-roupa para todos os dias.

As listras dos vestidos lembram o estilo dos anos 70, as calças justa, os casacos couture e as saias plissadas, complementam o vestuário ideal para as mulheres que adoram a moda fácil de usar.

Balenciaga.

Balenciaga

Balenciaga

Balenciaga

Balenciaga

Alexander Wang, encerra um capítulo na história moderna da Balenciaga, para abrir um novo. O designer americano muda o look punk para o clássico, A. Wang toma inspiração nos arquivos de Cristobal Balenciaga, apresentando uma coleção que nos lembra o grande estilista espanhol.

Mood moderno respeitando o maravilho DNA da maison parisiense. A coleção é feita na essência moderna da alta costura de Balenciaga, onde os vestidos feitos para a burguesia européia, levam costuras manuais, os casacos são decorados com botões de bronze, pedras e pérolas com as inicias da maison francesa.

Miu Miu.

Miu Miu

Miu Miu

Miu Miu

Miu Miu

Burguesa, feminina, estilo anos 60, são os adjetivos que descrevem a coleção de Miuccia Prada, que cria para o outono 2015-2016, uma coleção rica de combinações em cores vivas. Miu Miu, poe sobre a mesa um guarda-roupa cheio de cores brilhantes, silhuetas e combinações alegres, um mood quase irônico, sem dúvida moderno porque é carente de referências históricas.

Vestidos onde a pele de crocodilo e python, são na realidade de plástico moldado, as jóias são de vidro, tudo é estritamente falso, não há pedras semi-preciosas, nem metais ostentosos.

Carven.

Carven

Carven

Carven

Carven

Andrien Alexis Caillaudaud Marcial tomam as rédeas de Carven, a marca toma uma nova direção sem revolucionar o estilo clássico de Carven. A silhueta é precisa e essencial, os elementos são confortáveis e a roupa mais desportiva se integra de maneira elegante e natural, compondo uma coleção distintamente feminina e contemporânea.

Chloè.

 Chloè

Chloè

 Chloè

Chloè

Clare Waight Keller, é seguramente a estilista britânica mais parisiense em toda a Grã-Bretanha. Keller, re-interpreta a estética de Chloé contaminando o boêmio romântico, a elementos masculinos. Os casacos tem um estilo rigoroso e militar, são usados sobre vestidos esvoaçantes que se movem ao passo feminino, como ondas em um oceano. As camisas masculinas são usadas com saias patchwork de sabor cigano.

Balmain.

Balmain

Balmain

B almain

B almain

Os anos setenta retornam em um mood sofisticado e sexy na passarela de Balmain. Blusas e calças pantalonas, vestidos cônicos desenham uma silhueta que destaca cintura e decotes. As cores intensas dos trajes de noite, são destacados ainda mais com flutuantes fios brilhantes.

Transparências, peças sobrepostas em trajes de renda e veludo, enquanto as longas franjas de seda, se movem como uma cachoeira de água, rápida, maravilhosa e hipnotizante.

Isabel Marant.

Isabel Marrant

Isabel Marant

Isabel Marrant

Isabel Marant

Isabel Marant interpreta o estilo parisiense com ninhas urbanas. O étnico é sofisticado para Isabel Marant, que combina com sabedoria a cultura ao encanto feminino.

Casacos de lã, com incríveis decorações geométricas evocam antigos motivos astecas. Nesse sentido, a coleção é mais ousada do que antes.

Louis Vuitton.

Louis Vuitton

Louis Vuitton

Louis Vuitton

Louis Vuitton

A mulher ideal de Louis Vuitton é jovem, curiosa, mas tem uma dupla personalidade, as vezes romântica e vulnerável, outras é do rock e empreendedora, mas nunca perde de vista seu requintado gosto por objetos luxuosos.

As camisas são usadas com jaquetas cônicas, os vestidos de lingerie tipo “anágua” são usados debaixo de pomposos casacos de pele, as túnicas são adornadas com rendas, tom sobre tom. As peças masculinas são coordenadas com acessórios rígidos de diferentes tamanhos e sapatos de salto alto.

Valentino.

Valentino

Valentino

Valentino

Valentino

Maria Grazia Chiuri e Pier Paolo Pccioli são talvez, os estilistas italianos que colocam mais paixão em seu trabalho, paixão pela cultura italiana, paixão por Roma, paixão pela Itália, pela arte, a beleza e a beleza feminina.

A coleção Valentino outono 2015, é uma mistura entre o sagrado e o profano, é uma homenagem ao rigor medieval italiano, a sensualidade e o romance. A coleção é um dualismo entre as famosas pinturas e gravuras convertidos em moda, um artesanato que toca os picos mais altos da alta costura, no entanto se trata de um prêt à porter.